Genômica, Proteômica e Biodiversidade

DNA-Barcoding-for-Fish-Image-via-news10.net

Os padrões de heterogeneidade genética de espécies e populações de recursos vivos marinhos são historicamente submetidos às pressões seletivas oriundas das alterações climáticas, além daquelas impostas pelas alterações de natureza antropogênica. Assim, as metodologias de acesso ao patrimônio genético e protéico das espécies permitem caracterizar a heterogeneidade biótica, diagnosticar as condições ambientais nos quais estão submetidos estes recursos vivos e identificar as suas proteínas e peptídeos com potencial de aplicação biotecnológica. Em termos mais específicos estas metodologias permitem a investigação dos padrões de conectividade populacional e recrutamento larval em zonas de estuário de recursos pesqueiros (peixes, crustáceos e moluscos) e a interatividade de contaminantes emergentes com o patrimônio genético das espécies. As metodologias relativas ao estudo do DNA favorecerão ainda estimativas de riquezas de espécies, por meio da aplicação do protocolo Barcoding a estágios planctônicos de desenvolvimento larval, cujas identificações são ainda controversas. Já as metodologias relativas à caracterização de proteínas e/ou peptídeos vem ao encontro do interesse na identificação de proativos com potencial biotecnológico, cujos resultados entram em sinergia com bioprospecção marinha. 

Objetivo Principal: a presente iniciativa tem por objetivo geral entender a heterogeneidade do patrimônio genético e proteico de espécies de recursos vivos (peixes, crustáceos moluscos e zooplâncton) da região Norte e Nordeste do Brasil em um contexto espacial, perante uma perspectiva de alterações climáticas. 

Coordenadores: Rodrigo Torres (UFPE) & Mônica Adam (UFPE)

Abordagem Metodológica: isolamento do DNA genômico, marcadores moleculares, sequenciamento, análise de genotoxicidade cruzeiros para a realização de transectos, amostragem do plâncton, extração e purificação de proteínas, analises estatísticas.