Plumas Fluviais

2010051712354781603031606922 3

Os rios são as principais vias de fluxo dos materiais produzidos pelo intemperismo e lixiviação das rochas e solos continentais para os oceanos. Muitos sistemas fluviais apresentam um sistema de transição estuarino, enquanto que aqueles de grandes dimensões, associados a sistemas deltáicos, afluem diretamente para os oceanos. A distribuição dos sedimentos na plataforma ocorre inicialmente através das plumas fluviais. As plumas resultam da interação entre massas de água de diferentes densidades, onde as águas fluviais menos densas bóiam sobre a água costeira, conservando a cinética fluvial. A camada de água menos densa pode ocupar de alguns decímetros a metros de coluna de água, espraiando-se radialmente a partir da desembocadura. Uma vez que as águas se misturam, ocorre a decantação dos sedimentos carreados em suspensão e a conversão de nutrientes em produção primária. A partir deste ponto, os sedimentos entram em um ciclo de deposição, erosão e transporte até ficarem retidos em um ambiente deposicional costeiro (marismas ou manguezais) ou escaparem para regiões mais profundas onde ficarão retidos em escalas de tempo maiores. 

Objetivo Principal: investigar os processos controladores da dispersão de sedimentos relacionados com três sistemas fluviais no N-NE, procurando relacionar os processos observados atualmente, as possíveis mudanças em relação ao passado recente, e as conseqüências para a evolução costeira no futuro próximo. 

Coordenadores: Carlos Schettini (UFPE) & Alessandro Luvizon (UFPA)

Abordagem Metodológica: perfilagem acústica de correntes, medidas de salinidade, temperatura e turbidez (fundeios), sensoriamento remoto.