Respostas da Linha de Costa

Erosão Costeira 1

A franja litorânea da região norte-nordeste do Brasil apresenta algumas das maiores densidades populacionais do país (e.g. Recife) ao tempo em que está sujeita a casos dramáticos de erosão costeira que resultam da conjunção da reduzida disponibilidade de sedimentos com usos do solo inadequados.  De outro lado a região norte, apesar de receber um dos maiores aportes sedimentares do mundo, apresenta também casos de erosão severa associados intrinsecamente ao transporte e deposição de sedimentos finos, como ocorre nas costas lamosas como a do Amapá.  Finalmente muitos casos de erosão na região norte e nordeste estão diretamente ligados à dinâmica de deltas de maré e desembocaduras fluviais. É necessário portanto, examinar o comportamento da linha de costa em diferentes escalas temporais compreendendo os processos de curta, média e longa duração e espaciais que incorporem a variabilidade espacial do regime de ondas, suprimento e transporte de sedimentos e altura da maré. 

Objetivo Principal: compreender a heterogeneidade das respostas da linha de costa, em ambientes costeiros distintos frente a diferentes condições forçantes atuais (ondas, marés etc) e avaliar  a sua vulnerabilidade e as suas possíveis respostas em função de cenários de elevação do nível do mar e de mudanças climáticas.  

Coordenadores: Eduardo Siegle (USP) & Pedro Pereira (UFPE)

Abordagem Metodológica: vídeo-imageamento (sistema Argus), experimentos de campo, modelagem numérica.

Exemplo do Sistema Argus na Praia de Massaguaçú - SP